Vestibular
Home
Visita técnica da pós em Jornalismo Gastronômico

Visita técnica da pós em Jornalismo Gastronômico

Comida, cultura dignidade

Alunos da pós-graduação em Jornalismo Gastronômico da Facha participam de projeto que atua com gastronomia social

 

A primeira turma de pós-graduação em Jornalismo Gastronômico realizou a primeira visita técnica. A atividade foi realizada no Reffetorio Gastromotiva, na Lapa, durante três dias. O projeto é uma iniciativa da Ong Gastromotiva, o chef italiano Massimo Bottura e a jornalista Alessandra Forbes. Sob o lema "Comida, cultura e dignidade", de segunda a sexta, o refeitório oferece jantar com entrada, prato principal e sobremesa para a população em situação de vulnerabilidade social, que estão nas ruas ou em abrigos. Os cerca de 72 convidados de cada noite são encaminhados por Ongs parceiras, que atuam com essa população.  

 

O cardápio é planejado diariamente pela equipe de cozinha da Ong Gastromotiva, conforme as doações do dia, recebidas de supermercados e fornecedores de hortifrútis e demais parceiros. Os alimentos são integralmente aproveitados em receitas que exigem criatividade para transformar o que seria jogado no livro numa refeição digna, bem apresentada, apetitosa e saudável.

Dividida em três grupos, a turma atuou no serviço do salão, servindo os convidados durante uma hora. Antes de participar da experiência, os voluntários assistem uma apresentação do projeto feita pela assistente social Gisele Anselmo, que também dá as orientações para servir os convidados. Na semana que a turma participou, o refeitório havia recebido 250 quilos de cenoura e pudemos acompanhar a criatividade dos jovens cozinheiros, formados pela Gastromotiva, que atua com formação de auxiliares de cozinha e empreendedorismo social e também tem a presença do chefs convidados, como a Luciana Bunamor, que é vegana.

A cenoura foi servida como purê, guarnecida com bacon, foi o recheio do escondidinho de batata com queijo e chips da casca da batata, entrou no arroz cremoso com requeijão de aveia, virou espaguete e servida com molho de mostarda e chia e foi a guarnição do macarrão com legumes, acompanhado de casca de banana empanada com a chia desidratada e farinha de trigo. Esse prato principal surpreendeu voluntários e convidados. A casca da banana gerou discussão, pois não dava para identificar o que era. Parecia sardinha pelo formato ou talvez uma berinjela. Mas só no final a chef Luciana contou o segredo. Bem temperada, com sabor de limão, com textura e crocância ficou difícil identificar, mas o sabor conquistou a todos. Uma amostra de como é possível fazer uma gastronomia mais democrática e coerente, eliminando o desperdício e combatendo a fome.

As mesas são forradas com papel craft e giz de cera ficam espalhados entre pratos, talheres e copos, organizados de maneira cuidadosa para acolher os convidados da noite. Da recepção à refeição, tudo no refeitório aponta para a prática da hospitalidade, que consiste em dar-receber-retribuir, estreitando os vínculos sociais. Enquanto os voluntários servem a refeição com todo o cuidado e empatia aos convidados, estes expressam seus sentimentos com os lápis coloridos.

Ao final do serviço, percorremos as duas enormes mesas para ler as mensagens escritas ou desenhadas. É uma maneira imediata de se conectar com histórias de vidas que conhecemos por uma hora que nos fazem pensar em nossa vida inteira.  É também uma forma rápida de saber se o cardápio agradou ou não. "Gratidão" é das palavras aparecem com frequência, o que demonstra a importância da hospitalidade, dignidade, cidadania  e do acolhimento. Nessa quarta, fotografamos alguns desses escritos, tais como,  "gastronomia é salvação"; "minha primeira refeição nesse restaurante gastronômico. Obrigado"; e "gostei muito de estar nesse lugar. Sendo assim, esquecemos que somos da rua e nos sentimos cidadãos respeitados. Obrigado".

 

Depois de recolhida as louças da sobremesa, os voluntários se reúnem para provar o menu e conversar sobre a experiência com a Gisele. Os depoimentos são carregados de emoção, inspiração e motivação para transformar realidades por meio da gastronomia. Que esse vínculo estabelecido nos faça pensar em como afinar nossa missão de comunicar o direito ao alimento "bom, limpo e justo", como defende o movimento Slow Food, com uma visão de mundo capaz de transformar realidades.

TV FACHA

compartilhar Top