Notícias

Gestores do Complexo Maracanã participam do Webinar “Operação de Arenas em Eventos”

16 de novembro de 2020

A importância do Feedback
A importância do Feedback

Por Rafael Cruz – do portal de Jornalismo da FACHA “Em Todo Lugar”

A Facha realizou nesta sexta-feira (13), em seu canal do YouTube, o Webinar “Operação de Arenas em Eventos”. A live contou com a presença de Luiz Augusto Brum, gerente de operações e eventos DENTSU, Igor Cavavo, membro do Comitê de Fiscalização, Gestão e Operação do Complexo Maracanã (CFGO-Maracanã), e mediação de Luis Felipe Barros, Presidente do CFGO – Maracanã e Diretor de Governança Sou do Esporte. 

O evento foi organizado pelos alunos do curso de Gestão Desportiva da faculdade, dentro da disciplina de Gestão de Eventos, e a divulgação foi feita pelos alunos de jornalismo em Tópicos Especiais de Assessoria de Comunicação, ambas ministradas pela professora Ana Cristina Rosado, e emplacaram matérias sobre a palestra em veículos como o Yahoo, Uol, IstoÉ, Terra, Correio do Amanhã e Lance.

O moderador, Luis Felipe Barros, iniciou a conversa fazendo agradecimentos. Ele citou os alunos responsáveis pela realização do evento, o Facha Hub, núcleo responsável pela parte comunicacional da faculdade, ao funcionário de TI da Facha, Reginaldo Junior, que colocou a live no ar, o coordenador Leandro Lacerda pelo espaço, e claro, aos convidados que participaram do bate papo. 

Após os agradecimentos, Luis apresentou seus amigos. Igor Cavaco é formado em Comunicação Social com Pós em Marketing Esportivo e membro atual do Comitê de Fiscalização, Gestão e Operação do Complexo Maracanã. Atuou como Coordenador de Competição na Copa América 2019, Coordenador de Experiência de Jogos no Fluminense F.C., em 2017, Gerente de Operação dos Eventos de Rua nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Na Copa do Mundo, em 2014, foi Coordenador de Competição, em Salvador e atua como consultor de comunicação de micro e macro empresas e federações esportivas. Já Luiz Augusto Brum trabalhou em eventos esportivos nacionais e internacionais, como a Copa do Mundo em 2014, Rio 2016, Copa América 2019 e 2021. 

O presidente pediu para os dois falarem de suas trajetórias profissionais. Guga, apelido de Luiz Augusto Brum, contou que começou no esporte. Era atleta de futsal e parou de jogar para cursar a faculdade de Educação Física. Começou a trabalhar no futebol, como treinador de goleiros, passou por outros esportes como Futebol de 7, Vôlei e Judô, até deixar o futebol e seguir para a área de eventos. 

Cavaco veio do Nordeste para trabalhar com o pai e depois para estudar, se formou em Jornalismo, na PUC-RJ, e começou trabalhando com edição de vídeo, fez assessoria na Approach, se especializou em Gestão e Marketing e conheceu colegas, que o indicaram para realização de eventos.

O primeiro assunto abordado foi o trabalho voluntário. Guga destacou a importância do comprometimento e da proatividade, e contou uma experiência que teve como voluntário em um evento de Futebol de 7, que foi fundamental para sua carreira. Para ele é importante estar envolvido e conhecer um pouco de cada coisa. 

Igor afirmou que os grandes eventos são boas oportunidades de aprendizado para os voluntários. Ele contou a história de uma voluntária dele na Copa do Mundo de 2014, que fazia faculdade de engenharia, buscava um espaço no mercado e após isso foi contratada pelo Comitê Olímpico em 2016 e hoje está trabalhando em Marketing. Na opinião dele é importante ser observado e fazer essas conexões. 

O papo continuou com relatos da parte de planejamento e as etapas para a realização de um evento. Guga ressaltou a importância de entender os processos e ter noção do que está acontecendo. Entendendo como fundamental essa fase, não vê possível a realização de um evento sem planejamento e falou de ferramentas utilizadas por ele nessa etapa, como o Canva e a análise swot.  

Cavaco executa eventos de rua (ciclismo, maratona, marcha atlética) e falou do planejamento para a realização desses esportes. Ele revelou que a primeira coisa a ser feita é conversar com pessoas que gerem a cidade, com associação de moradores, sub prefeitura e os líderes das modalidades. A segunda é organizar e conseguir liberação de espaço com a prefeitura para a realização das provas. Ele comparou com um trabalho de formiguinha e citou o engajamento e o convencimento como fundamentais para dar certo. 

Guga falou de sua experiência como manager do Complexo Maracanã durante a Copa do Mundo de 2014, explicou como conseguiu o cargo e falou dos desafios de gerir jogos de vôlei e futebol que aconteciam no mesmo local em um curto espaço de tempo, além do planejamento e as dificuldades para a realização da cerimônia. Ele revelou que essa foi a operação mais difícil que ele participou, porque teve que mudar as funcionalidades do estádio. 

Após isso, Luis Felipe Barros pediu para que os convidados relatassem desafios curiosos em suas operações e passou para as perguntas do público. Entre as perguntas, a maioria foi sobre o Maracanã, onde os três trabalham juntos. Em uma das repostas Guga e Cavaco afirmaram que o Brasil não estava preparado para atender as exigências da FIFA e do COI para a realização da Copa do Mundo e das Olímpiadas, mas foi se preparando durante o processo, “trocando o pneu com o carro andando”, disseram. 

A precificação dos ingressos, o custo do Maracanã e a retirada das cadeiras também foram assunto. Por último eles falaram do mercado e da importância de estabelecer uma rede de contatos para conseguir mais oportunidades e fizeram um encerramento com agradecimentos à Facha e se colocando à disposição dos alunos para dúvidas. Cavaco ainda fez indicações de livros e filmes, como o livro “Não entra por acaso” e a “Marca da Vitória” e os filmes “O Maldito Futebol Clube” e “The Last Dance”. 

O Webinar foi feito para os alunos de Gestão Esportiva, mas estendido à toda comunidade acadêmica. Teve 220 visualizações até o momento da realização da reportagem. 

Confira a conversa na íntegra: 

Últimas notícias